quinta-feira, 26 de julho de 2012

AULA 18: AVALIAÇÃO DE ARTES I UNIDADE



AVALIAÇÃO DE ARTES

A Arte é necessária
          (...) De tudo o que observamos, pensamos  e refletimos a respeito da história da humanidade, podemos concluir que a arte tem várias funções na sociedade e na cultura: interpretar o mundo; provocar emoção e reflexão; expressar o pensamento e a visão de mundo do artista; explicar e refletir a história humana; questionar a realidade; representar crenças e homenagear deuses, idéias, pessoas, entre muitas outras.
          E nós, como apreciadores ativos,  como espectadores atuantes, quando procuramos viver uma experiência estética, podemos ter vários objetivos. Uns objetivos predominam sobre outros, mas podem surgir juntos, todos ao mesmo tempo. Estão em torno das seguintes ações intelectuais e emocionais:

• Refletir, pensar, questionar: Como nunca pensei nisso? Como as coisas podem ser vistas assim? O que isso representa? O que me diz?
• Distrair: Que agradável observar uma obra tão bem feita!
• Usufruir do prazer estético: Como o artista soube usar tão bem o material! Que efeito interessante! Que idéia bem realizada!
• Fugir da realidade:  E se as coisas fossem assim?
• Diminuir a solidão: Ele sente a mesma sensação que eu!
• Entender o ser humano: Como esse artista via o mundo de maneira diferente!
• Conhecer o mundo: Quer dizer que essa forma de comunicação representa uma época? Um período estético?
• Organizar e compreender os próprios sentimentos e emoções: Que emoção estranha que eu sinto quando observo esse quadro! Será que estou gostando? Será que
estou assustado com a imaginação do artista? Por que esse tema incomoda?
• Vivenciar outras realidades: Esse quadro parece que saiu de um  pesadelo! Como o
autor imaginou isso?
• Conhecer outra forma de ver o mundo: E eu que nunca tinha pensado  assim!
         
          A experiência estética que a arte proporciona é uma forma de felicidade muito especial porque é transformadora. Ela nos modifica pela emoção que proporciona. Para interagir a apreciar a arte, usamos: experiências anteriores; percepção; habilidades comunicativas, visuais e espaciais; informações; sensibilidade: imaginação. Assim, quanto mais desenvolvermos essas capacidades, competências e habilidades, mais nos aproximaremos do mundo da arte. (...)
O Globo, Jornal, 2002
1. Marque (V) VERDADEIRO ou (F) FALSO:
a) (     ) A grosso modo, é certo dizer que a arte é o conjunto de normas para a execução mais ou menos perfeita de qualquer coisa.
b) (     ) Observando nosso cotidiano, podemos afirmar que a função da arte é basicamente decorar os ambientes domésticos e públicos.
c) (     ) A arte promove um diálogo visual do observador com o artista, pois expressa a imaginação de seu criador tão claramente como se ele estivesse falando através da obra.
d) (     ) O conceito do belo é bastante relativo, pois ele depende de época, país e indivíduos.

2. Marque (V) VERDADEIRO ou (F) FALSO:
a) (   ) Em relação à arte em si, definir o que é belo seria decidir o que é arte. Na verdade são dois problemas distintos, pois determinar o que é arte nos capacita avaliar sua qualidade.
b) (     ) A arte é uma forma única para representar nosso cotidiano.
c) (     ) A arte de hoje está em torno de nós. A arte, hoje, faz parte do nosso cotidiano.
d) (     ) Através da história podemos afirmar que o homem exigiu da arte que ela se tornasse um espelho da natureza.

3. “É possível dizer (...) que arte são certas manifestações da atividade humana diante das quais nosso sentimento é admirativo, isto é: nossa cultura possui uma noção que denomina solidamente algumas de suas atividades e as privilegia. Portanto, podemos ficar tranquilos: se não conseguimos saber o que é arte, pelo menos sabemos quais coisas correspondem a essa ideia e como devemos nos comportar diante delas.”
(COLI, Jorge. O que é Arte. São Paulo: Brasiliense, 1996, p. 8).

Diante do exposto pelo autor, assinale o que for correto:
(01) Caso uma pintura ou uma escultura, independente do prestígio social do artista, não seja admirada por um certo número de pessoas, ela já não pode mais ser considerada uma obra de arte.
(02) A definição de obra de arte varia no tempo e no espaço, porém a definição de arte como manifestação da atividade humana é a mesma em todas as sociedades no passado e no presente.
(04) Certos meios expressivos como as histórias em quadrinhos não podem ser considerados obras de arte, porque, na sociedade contemporânea, somente são assim definidos os objetos expostos nas galerias e nos museus.
(08) Em uma sociedade complexa como a que vivemos, a aceitação de uma definição de obra de arte depende, entre outros fatores, das convenções estéticas e do acesso dos cidadãos às diferentes manifestações artísticas.
(16) Embora a definição de arte dependa da cultura na qual estamos inseridos, não podemos deduzir do texto que só é possível reconhecer um objeto como obra de arte quando há consenso a respeito dessa definição.

4. Leia o texto abaixo, analise as figuras e responda à questão:

          A produção artística chega a nós, hoje, dos mais variados modos, e sua divulgação sofre interferências da mídia, instituições, governos. [...] a tecnologia existente hoje fez com que obras de arte se reproduzissem fantasticamente. Mona Lisa, por exemplo, existe apenas no museu do Louvre, em Paris, mas hoje vemos “Mona Lisas” espalhadas aos milhares, aos milhões pelo mundo. Quem já não a viu estampada em camisetas, cinzeiros, chaveiros e até fazendo propaganda de jeans em revistas? Quantas releituras, citações, apropriações já não foram feitas dessa obra?
(MARTINS; PICOSQUE; GUERRA. Didática do ensino de arte: a língua do mundo: poetizar, fruir e conhecer arte. São Paulo: FTD, 1998. p. 76-78.)

Considere as afirmativas a seguir:
I. A apropriação e a citação de obras de arte, ou de parte delas, tanto na propaganda como na arte, cumprem a mesma função.
II. A reprodução da obra de arte, de certa forma, democratiza-a e a torna acessível à grande maioria da população.
III. O processo de releitura pressupõe ir além da reprodução, pois significa reinterpretar e, por isso, criar novos significados.
IV. O aspecto quase sagrado que somente a obra original possui se perde à medida que esta é reproduzida em grande escala.
Assinale a alternativa correta.
a) Somente as afirmativas I e III são corretas.
b) Somente as afirmativas I e IV são corretas.
c) Somente as afirmativas II e IV são corretas.
d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas.
e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.

A) a alteração do sentido de um objeto do cotidiano e uma crítica às convenções artísticas então vigentes.
B)  a crítica à vulgarização da ar te e a ironia diante das vanguardas artísticas do final do século XIX.
C)  o esforço de tirar a ar te dos espaços públicos e a insistência de que ela só podia existir na intimidade.
D) a vontade de expulsar os visitantes dos museus, associando a ar te a situações constrangedoras.
E)  o fim da verdadeira ar te, do conceito de beleza e importância social da produção artística
5. A peça Fonte foi criada pelo francês Marcel Duchamp e apresentada em Nova Iorque em 1917. A transformação de um urinol em obra de arte representou, entre outras coisas:













Nenhum comentário:

Postar um comentário