quinta-feira, 26 de julho de 2012

Chico Buarque - Mulheres de Atenas




Mirem-se no exemplo
Daquelas mulheres de Atenas
Vivem pros seus maridos
Orgulho e raça de Atenas

Quando amadas se perfumam
Se banham com leite, se arrumam
Suas melenas
Quando fustigadas não choram
Se ajoelham, pedem imploram
Mais duras penas, cadenas

Mirem-se no exemplo
Daquelas mulheres de Atenas
Sofrem pros seus maridos
Poder e força de Atenas

Quando eles embarcam soldados
Elas tecem longos bordados
Mil quarentenas
E quando eles voltam, sedentos
Querem arrancar, violentos
Carícias plenas, obcenas

Mirem-se no exemplo
Daquelas mulheres de Atenas
Despem-se pros maridos
Bravos guerreiros de Atenas

Quando eles se entopem de vinho
Costumam buscar um carinho
De outras falenas
Mas no fim da noite, aos pedaços
Quase sempre voltam pros braços
De suas pequenas, Helenas

Mirem-se no exemplo
Daquelas mulheres de Atenas
Geram pros seus maridos
Os novos filhos de Atenas

Elas não tem gosto ou vontade
Nem defeito, nem qualidade
Têm medo apenas
Não tem sonhos, só tem presságios
O seu homem, mares, naufrágios
Lindas sirenas, morenas

Mirem-se no exemplo
Daquelas mulheres de Atenas
Temem por seus maridos
Heróis e amantes de Atenas

As jovens viúvas marcadas
E as gestantes abandonadas não fazem cenas
Vestem-se de negro, se encolhem
Se conformam e se recolhem
As suas novenas
Serenas

Mirem-se no exemplo
Daquelas mulheres de Atenas
Secam por seus maridos
Orgulho e raça de Atenas


"Acredito que essa letra não é ironica, quando fala das caracteristicas dos homens de Atenas(pois não é ironia chama-los de bravos guerreiros de Atenas, poder e força de Atenas,amantes,já que eles realmente erão assim na época que está sendo retratada na letra)

A única critica direta a esses homens,é feita nesse trecho:

“Quando eles se entopem de vinho
Costumam buscar um carinho
De outras falenas”

Mesmo na parte acima a intenção não é criticar diretamente o homem de atenas, mas sim mostrar que as mulheres de Atenas sempre perdoavam seus maridos, como mostra a continuação:
“Mas no fim da noite, aos pedaços
Quase sempre voltam pros braços
De suas pequenas, Helenas”
Na verdade boa parte da letra tem como objetivo
criticar de forma sincera e não ironica o comportamento dessas mulheres com relação aos seus homens,pois elas viviam apenas pra eles, se esquecendo delas mesmas:
“Vivem pros seus maridos”
“Sofrem pros seus maridos”
“Despem-se pros maridos”
“Geram pros seus maridos”
“Temem por seus maridos”
“Secam por seus maridos”
E finalmente quando são abandonadas ou ficam víuvas, a vida pra elas “acaba”, torna-se apenas um esperar a própria morte também:
“As jovens viúvas marcadas
E as gestantes abandonadas não fazem cenas
Vestem-se de negro, se encolhem
Se conformam e se recolhem
As suas novenas”
Porém algumas frasem também tem a intenção de elogiar o amor sincero dessas mulheres que abdicam da própria vida, por amor, e parece que fazem por que querem e não porque são obrigadas:
“Quando amadas se perfumam
Se banham com leite, se arrumam
Suas melenas”
quando não são amadas, imploram pelo amor do marido,tipo uma necessidade dela:
“Quando fustigadas(não amadas) não choram
Se ajoelham, pedem imploram
Mais duras penas, cadenas”
As frases abaixo, mostram que seus sentimentos eram verdadeiros:
“Temem por seus maridos”
“Secam por seus maridos”
Quando esses viajam, elas
“Tem medo apenas, não sonham,mais sim tem presságios,fazem mil novenas”
Esse sentimento delas tem algo de louvavel pra Chico, expresso na frase abaixo:
“Lindas sirenas, morenas”
E finalmente, mesmo quando elas ficam viuvas e se recolhem na vida(deixam praticamente de viver), parece que pra elas não é uma coisa ruim porque elas se conformam SERENAS."
Comentário by carlos f viana 

Nenhum comentário:

Postar um comentário