sexta-feira, 27 de julho de 2012

NÃO ENCHE - CAETANO VELOSO



Me larga, não enche

Você não entende nada
E eu não vou te fazer entender…

Me encara, de frente
É que você nunca quis ver
Não vai querer, nem vai ver
Meu lado, meu jeito
O que eu herdei de minha gente
Eu nunca posso perder
Me larga, não enche
Me deixa viver, me deixa viver
Me deixa viver, me deixa viver…

Cuidado, oxente!
Está no meu querer
Poder fazer você desabar
Do salto, nem tente
Manter as coisas como estão
Porque não dá, não vai dá…

Quadrada! Demente!
A melodia do meu samba
Põe você no lugar
Me larga, não enche
Me deixa cantar, me deixa cantar
Me deixa cantar, me deixa cantar…

Eu vou
Clarificar
A minha voz
Gritando
Nada, mais de nós!
Mando meu bando anunciar
Vou me livrar de você…

Harpia! Aranha!
Sabedoria de rapina
E de enredar, de enredar
Perua! Piranha!
Minha energia é que
Mantém você suspensa no ar
Prá rua! se manda!
Sai do meu sangue
Sanguessuga
Que só sabe sugar
Pirata! Malandra!
Me deixa gozar, me deixa gozar
Me deixa gozar, me deixa gozar…

Vagaba! Vampira!
O velho esquema desmorona
Desta vez prá valer
Tarada! Mesquinha!
Pensa que é a dona
E eu lhe pergunto
Quem lhe deu tanto axé?
À-toa! Vadia!
Começa uma outra história
Aqui na luz deste dia "D"
Na boa, na minha
Eu vou viver dez
Eu vou viver cem
Eu vou vou viver mil
Eu vou viver sem você…(2x)

Eu vou viver sem você
Na luz desse dia "D"
Eu vou viver sem você…
"Caros amigos… Acreditar que esta brilhante música seria uma simples crítica a uma mulher real, ou pior ainda, uma resposta a musica do Kid Abelha, é querer desfazer do talento, capacidade criativa e mentalidade combativa de um grande artista como caetano Veloso, principalmente no contexto político vivido na época.

Àquela época criava-se uma tendencia a valorização das músicas sem conteúdo crítico/político, por exemplo, movimento da jovem guarda, que ia na contra-mão de cíticos como caetano veloso. As graadoras e a crítica passam a cobrar uma mudança de estilo musical, para que esta fique agradável aos olhos dos dominantes. O que digo fica claro em trechos como “o que eu herdei d eminha gente eu nunca posso perder”, Cuidado, oxente!Está no meu querer Poder fazer você desabar Do salto, nem tente Manter as coisas como estão Porque não dá”. O que sera a “sabedoria de rapina de enredar”? Se refere a arte de fingir=enredar=inventar, e rapina devido a maldade. Veja como ele se refere a quem quer se aproveitar dele: Rapina, piranha, quadrada, demente, VAMPIRA (sugadora de energia), mesquinha, Vadia, piranha (quer lhe roer a carne).
Desta forma é que vejo esta brilahnte música."
Abraços a todos


Comentário by Luiz Henrique

2 comentários:

  1. Poxa, sempre quis saber um pouco sobre esta letra ( maravilhosa e intrigante) que bom que escreveu. Um abraço!

    ResponderExcluir
  2. Se essa musica fosse de Bolsonaro, com certeza não haveria essa interpretação tão poética ...

    ResponderExcluir