sexta-feira, 27 de julho de 2012

TROPICÁLIA - CAETANO VELOSO



Sobre a cabeça os aviões

Sob os meus pés, os caminhões
Aponta contra os chapadões, meu nariz

Eu organizo o movimento
Eu oriento o carnaval
Eu inauguro o monumento
No planalto central do país

Viva a bossa, sa, sa
Viva a palhoça, ça, ça, ça, ça

O monumento é de papel crepom e prata
Os olhos verdes da mulata
A cabeleira esconde atrás da verde mata
O luar do sertão
O monumento não tem porta
A entrada é uma rua antiga,
Estreita e torta
E no joelho uma criança sorridente,
Feia e morta,
Estende a mão

Viva a mata, ta, ta
Viva a mulata, ta, ta, ta, ta

No pátio interno há uma piscina
Com água azul de Amaralina
Coqueiro, brisa e fala nordestina
E faróis
Na mão direita tem uma roseira
Autenticando eterna primavera
E no jardim os urubus passeiam
A tarde inteira entre os girassóis

Viva Maria, ia, ia
Viva a Bahia, ia, ia, ia, ia

No pulso esquerdo o bang-bang
Em suas veias corre muito pouco sangue
Mas seu coração
Balança a um samba de tamborim
Emite acordes dissonantes
Pelos cinco mil alto-falantes
Senhoras e senhores
Ele pões os olhos grandes sobre mim

Viva Iracema, ma, ma
Viva Ipanema, ma, ma, ma, ma

Domingo é o fino-da-bossa
Segunda-feira está na fossa
Terça-feira vai à roça
Porém, o monumento
É bem moderno
Não disse nada do modelo
Do meu terno
Que tudo mais vá pro inferno, meu bem
Que tudo mais vá pro inferno, meu bem

Viva a banda, da, da
Carmen Miranda, da, da, da, da

Essa letra basicamente, relaciona a diversidade do Brasil e seus simbolos, com a tropicalia e sua diversidade musical.

Nessa letra Caetano Veloso tenta explicar o que é a tropicalia(que representa o Brasil, por isso muitas vezes na letra, a tropicalia=movimento=monumento=coisas do Brasil) de forma concreta como se fosse um pintor pintando um quadro, onde pudesse dizer:-O Brasil e a tropicalia está sintetizado nesse quadro que eu pintei.
No meio desse “quadro” que ele comeca a imaginar, supostamente existe um monumento desenhado , tipo uma estátua.Essa estátua é a própria tropicalia=brasil tb.Ele refere-se a ela em vários trechos da letra.A estátua está no MEIO do quadro, que seria o Brasil, uma coisa mais ampla que a própria tropicalia.
Pra começar essa idéia, o Caetano resolve começar a letra dentro de um contexto:Ele se imagina numa estrada, viajando, indo em direção ao monumento para inaugura-lo(Na estrada, ele olha pra cima, ve aviões, olha pros lados vê caminhões, e seu nariz aponta para os chapadões, na direção do planalto central,ou seja, ele se imagina indo pro planalto central inaugurar o monumento.
Metaforicamente, os caminhões e aviões representam o progresso assim como a tropicalia.
Como o monumento está no Planalto Central, da pra entender que a “estátua contida no quadro”, vai ser a IDEIA CENTRAL da letra, mas que além do “monumento”, vão existir outras coisas pintadas no quadro também.
Depois ele começa a pintar seu quadro com coisas do brasil mostrando sua diversidade(através da antitese entre sofisticação-simplicidade
“Viva a bossa”(bossa nova=sofisticação)
“Viva a palhoça”(palhoça=simplicidade)
Lembrando, que ele está exultando coisas do Brasil, através da palavra VIVA.
“O monumento é de papel crepom e prata”
“Os olhos verdes da mulata”
Nesse trecho ele começa a dar vida a sua estátua(que representa a tropicalia e o brasil):
Ele indica que ela é feita de papel crepom(simples) e prata(sofisticado)
Tem olhos verdes e pele morena(mistura de raças, é a mesma idéia de sofisticado misturado com simples)
“A cabeleira esconde atras da verde mata o luar do sertão”

Nessa frase ele indica que seu monumento tem cabeleira. Como o monumento representa o Brasil, a cabeleira da “estátua” representa a mata do brasil.(igual ao verde da bandeira).
E quando se está dentro da mata a noite por exemplo, não é possível ver o luar(do sertão, da mata, do brasil, a lua é uma só).
“O monumento não tem porta
A entrada é uma rua antiga,
Estreita e torta”
Esse trecho em outras palavras diz: A tropicalia no passado já existia mas ninguém a enxergou porque ela não tinha porta, porém ela era a entrada sem porta de uma rua ANTIGA(que já existia faz tempo), e mesmo que se descobrisse a entrada(Já que não tinha porta), a tropicalia era de dificil acesso, pois a rua era ESTREITA e TORTA.
Essa metáfora acima ele concretiza(diz a mesma coisa de forma concreta) no seu “monumento” no trecho abaixo:

“E no joelho uma criança sorridente,
Feia e morta,
Estende a mão”
Aqui fica claro que sua estátua(que representa a tropicalia e o brasil), é concretizada na forma de homem/ou mulher), ele já tinha dito da cabeleira,olhos, agora joelho, e mais pra frente fala da mão do monumento.

Em outras palavras ele diz: A criança sorridente pode ser o povo, que deveria estar seguro no joelho do país, mas que morreu feio e estendendo a mão, pedindo ajuda.
O fato de ele usar uma criança sorridente e estendendo a mão, que é um contraponto de feia e morta,mostra um certo otimismo no futuro, pois a criança representa esperança ainda.
A criança também pode ser a própria tropicalia que ficou abandonada na rua estreita e antiga(não se desenvolveu, por isso é criança, e acabou morrendo estendendo a mão).
Isso até o momento que os tropicalistas ressuscitam essa criança, pois descobrem a rua que leva a tropicalia.
“Viva a mata”
Viva a mulata”
Exultando a mata e a mulata do brasil
“No patio interno há uma piscina”
No quadro que ele pinta que é o brasil existe um pátio, uma piscina(os mares,rios, do brasil) com
“com água azul de Amaralina”
Amaralina é onde Caetano viveu na infancia, portanto o quadro de brasil que ele pinta, ele deixa claro que está pintando com os seus pontos de vista pessoias.
Os coqueiros, as brisas, a fala nordestina, os fárois são elementos Do brasil, que ele coloca no seu “quadro” também

“Na mão direita tem uma roseira
Autenticando eterna primavera”
Na mão direita da sua estátua tem uma roseira, que representa(autentica) a primavera do brasil

“E no jardim os urubus passeiam
A tarde inteira entre os girassóis”
No quadro que ele pinta do brasil, ele além de coisas boas, coloca as coisas ruins também, ou estranhas, como os urubus.(esse quadro multicolorido, preto com amarelo,verde azul,rosa, dá uma idéia geral do brasil e da tropicalia)

Viva Maria(Nome comum no brasil)
Viva Bahia(exultando a Bahia)
“No pulso esquerdo o bang-bang
Em suas veias corre muito pouco sangue
Mas seu coração
Balança a um samba de tamborim
Emite acordes dissonantes
Pelos cinco mil alto-falantes
Senhoras e senhores
Ele pões os olhos grandes sobre mim”
Esse trecho, pode ser resumido na ultima frase
“Ele põe os olhos grandes sobre mim”

Os olhos da sua estátua, representa os olhos do país, que tudo vigia, ou deveria vigiar.
Os olhos são na verdade o governo que vigiava o país,através da ditadura e especialmente vigiavam os tripicalistas.
“Viva Iracema”(referencia ao indio, e a literatura, pois existe um livro chamado iracema)
“Viva Ipanema”(Referencia ao Rio, e a Tom Jobim, por causa da Garota de Ipanema)
“Domingo é o fino-da-bossa
Segunda-feira está na fossa
Terça-feira vai à roça
Porém, o monumento
É bem moderno
Não disse nada do modelo
Do meu terno
Que tudo mais vá pro inferno, meu bem
Que tudo mais vá pro inferno, meu bem”
Nessa parte final, ele surpreendentemente critíca todos estilos de música, menos a tropicalia

Ele chama o fino da bossa de antiquado, e à compara com roça, e fossa
Dominho é o fino da bossa(programa que passava de domingo)
Segunda é fossa(nada de bom nesse dia pra ouvir)
Terça é roça(nada de bom nesse dia pra ouvir)
Porém, o monumento é bem moderno(ou seja, não tinha nada de bom, em nenhum dia da semana, pórem surgiu um monumento(tropicalia) bem moderno e legal)
“Não disse nada do modelo do meu terno”(Não disse nada do meu estilo musical, ele se identificou comigo, e eu me identifiquei com ele)
Nesse trecho, Caetano diz que só conseguiu se enquadrar na tropicalia, foi o unico terno que lhe caiu bem”
“Que tudo mais vá pro inferno meu bem”(Que todos os outros estilos vão pro inferno, com referencia e crítica especial a Jovem Guarda aqui, por causa da frase do Roberto Carlos numa letra, que foi inserida aqui:”Quero que vc me aqueça nesse inverno,E que tudo mais vá pro inferno”

E pra terminar ele faz uma referencia a Chico Buarque, na frase VIVA A BANDA(música A BANDA de Chico), e a Carmem Miranda.(termina com uma figura totalmente TROPICAL)
A ídéia no fim é terminar com um contraponto também, já que o estilo de Chico Buarque é totalmente diferente da Tropicalia.(representada pela figura tropical da Carmem Miranda)Comentário by carlos ferreira viana

Nenhum comentário:

Postar um comentário